Para o presidente da entidade, Semana Espírita do Guará contribui para esse resultado

Presidente da Federação Espírita do Distrito Federal (FEDF), Paulo Maia é um incentivador da Semana Espírita do Guará e aponta o evento como ferramenta importante para o fortalecimento da Coordenação Regional Espírita 9 (CRE-9), aglutina os centros espíritas da região administrativa do Guará. Em entrevista ao Boletim Especial da CRE-9, Maia avalia a expansão do movimento espírita no DF e comenta os desafios para a região do Guará. Para ele, integrar as Casas da região é fundamental para o movimento. Leia os principais trechos da conversa:

Como avalia o movimento espírita no DF e que desafios estão colocados nesse momento?

Paulo Maia – No DF e Entorno é nítida a percepção de maior engajamento e integração das instituições espíritas no trabalho de unificação. É bem visível o aumento de pessoas participando das atividades, do aumento do número de casas se organizando e realizando eventos de integração; o aumento do número de pessoas acorrendo às casas espíritas. Também observamos um aumento de demanda por qualificação dos colaboradores, que implica em mais atividades de capacitação contínua. Em cerca de 25 anos, houve um aumento de 100% do número de casas no Distrito Federal. Hoje ultrapassamos a quantidade de 160 instituições. Entendo que estamos em um novo paradigma de movimento espírita, mais dinâmico e mais participativo. Estamos transitando do sentimento de pertencimento de minha Casa Espírita para nossa Causa Espírita.

A FEDF criou comissões regionais para dinamizar o movimento em cada região do DF. Como avalia o trabalho da CRE-9 e quais os objetivos colocados para o Guará?

 P. M. – A divisão do movimento em Coordenação Regional Espírita tem o objetivo de fomentar o movimento de união de vizinhanças das casas espíritas, para que as pessoas que compõem as instituições possam visitar-se mutuamente e realizar projetos colaborativos, permutarem experiências e sincronizarem ações, unindo esforços para o bem comum da região. Integrar dirigentes, jovens e crianças das instituições em clima de fraternidade e paz, tornar o Espiritismo acessível à toda a comunidade. A CRE-9 está nesta construção. E manter todas as casas espíritas do Guará neste projeto é o grande desafio.

Qual a importância da Semana Espírita do Guará e como a FEDF apoia o evento?

P.M. – É o grande projeto para viabilizar o desafio de união e integração da região. É ativar o movimento. É o chamado para as pessoas saírem das Casas e se engajarem na Causa e se perceberem parte da família espírita da região da CRE-9.

Qual sua expectativa para esse ano?

P. M. – Que a mensagem de Jesus alcance mais corações e a participação das Casas aumente, em clima de paz e fraternidade.