Por Waldehir Bezerra de Almeida

“Esses grupos, correspondendo-se entre si, visitando-se, permutando observações, podem, desde já, formar o núcleo da grande família espírita, que um dia consorciará todas as opiniões e unirá os homens por um único sentimento: o da fraternidade, trazendo o cunho da caridade cristã.” – Allan Kardec. O livro dos médiuns, item 334.

Waldehir Bezerra de Almeida

A primeira Semana Espírita realizada no Brasil foi em 1939, na cidade de Três Rios – RJ. A partir de então, vários municípios de São Paulo e do Brasil passaram a realizar o evento com o propósito de fomentar a união das suas instituições espíritas e divulgar com maior ênfase a Terceira Revelação.

A ideia de uma Semana Espírita no Guará nasceu dos sonhos da irmã Dorinha e de Waldehir, com o propósito de unificar a atuação das Casas espíritas do Guará por meio da realização de eventos com a participação ativa das suas instituições, promovendo, assim, o fortalecendo do movimento espírita das duas cidades. Contatos foram feitos com os Presidentes das coirmãs, os quais deram todo apoio solicitado à realização de tão significativo evento, cujos resultados mais significativos vem sendo a aproximação dos trabalhadores daquelas instituições, originando laços de amizade que perduram até hoje, e deverão perdurar para sempre, bem como a troca de experiências na condução de atividades entre as Casas de nossa comunidade.

Foi assim, que no dia 10 de dezembro de 2004, às 17h, na sede do Grupo Espírita Casa do Caminho, QE 38, Área Especial 3, Guará II – DF, reuniram-se, pela primeira vez, os presidentes das instituições espíritas do Guará, para planejarem uma ação conjunta a favor da divulgação do Espiritismo naquelas cidades. Estavam presentes: Edmir Freitas Pereira – GEAE; Getúlio Ivan Carreira – CETAU; Maria Auxiliadora M. Marques (Dorinha) – CEAL; Nilvanda da Silva Alves de Lima – OSFRAMA, e Waldehir Bezerra de Almeida – GECAM. Cabe a nota de que somente em 2006 teríamos a alegria de contar entre nós com a CFRAT: Casa Fraterna Chico Xavier, fundada naquele ano.

Como resultado, ficou assegurado que a I Semana Espírita do Guará – I SEG, seria realizada em 2005, no período de 10 a 17 de abril, e que ela homenagearia a 1ª edição de O Livro dos Espíritos, publicado em 1857, em Paris, cujo autor, Prof. Denizard Hippolyte Léon Rivail, que passou a ser conhecido pelo pseudônimo da Allan Kardec. Naquela reunião as coirmãs selaram o compromisso de conjugarem seus esforços na Seara de Jesus, trabalhando pela divulgação fiel e segura da doutrina codificada por Allan Kardec. A intenção das coirmãs, conjugando seus esforços para melhor servirem à causa do Cristo, foi simbolizada com a ilustração constante do prospecto com a programação da I SEG, sendo ela uma sugestão do companheiro Edmir (Geae).

Em outubro de 2004 o Brasil comemorava o bicentenário do nascimento de Allan Kardec, cujas homenagens se estenderam até outubro de 2005. Em Brasília, a Federação Espírita do Distrito Federal – FEDF, convidara Divaldo Pereira Franco para um ciclo de palestras no Ginásio Nilson Nelson, nos dias 16 e 17 no mês de abril. A I SEG, a convite da FEDF, incorporou em seu programa as conferências do famoso orador baiano em homenagem a Allan Kardec. Caravanas de trabalhadores e frequentadores das Casas espíritas do Guará se deslocaram até o referido ginásio, em ônibus fretados pelo Gecam e pelo Ceal, para homenagearem o ínclito Codificador da Doutrina Espírita. Foram momentos inesquecíveis que enriqueceram o nosso evento.

Para custear as despesas da I SEG, um Bazar-brechó unificado foi realizado no CETAU, no dia 26 de fevereiro, de 9h às 12h, cujo resultado foi de R$ 1.693,00 (um mil seiscentos e noventa e três reais).

A programação da I SEG foi composta dos seguintes itens:

10/4 – Campanha de Fraternidade Unificada Souza de Souza. Sob a coordenação de Magda Helena Tavares Chaves (CEAL) e de Ailton Gonçalves de Carvalho (Gecam). A partir do GECAM, 100 caravaneiros das Casas promotoras do evento visitaram 1.000 (mil) residências da QE 38 (Guará II), e arrecadaram 600kg de alimentos, que foram destinados ao Lar Francisco Xavier e Larzinho Chico Xavier, no Núcleo Bandeirante.

11/4Cantata. Realizada no auditório da Administração do Guará, das 20h às 22h, sob a direção da companheira Madalena Miranda (Ceal), sendo Mestre de Cerimônia o companheiro João Vítola (Ceal). O Evento contou com a presença de mais de 250 pessoas. Vários cantores(as), poetas, poetisas e músicos abrilhantaram o acontecimento inédito no movimento espírita do Guará. Destacaram-se os desempenhos da Orquestra de Câmara da Comunhão Espírita de Brasília, do Coral Espírita Irmã Sheila do Ceal, e do Grupo de música do Geae. Estiveram presentes autoridades representativas do Guará, tais como os Senhores Cap. José Fernandes Mota Jr. Comandante da 13ª Companhia Reg. de Incêndios; Heleno Nogueira de Carvalho, Administrador do Guará-DF;  Cel. Antônio José Serra Freixo, Comandante do 4º Batalhão da Polícia Militar; Dr. João Carlos Couto Lóssio Filho, Delegado Chefe da 4ª DP do Guará; Major Carlos Alberto Rasia. Cmt. da 1ª Cia. Independente de Emergência Médica; Prof. Juarez Aguiar de Andrade, Diretor da Regional de Ensino do Guará; Senhoras Fátima de Oliveira Souza, Presidenta do Rotary do Guará, e Sueli Aparecida Martins Miranda, Diretora do CDS do Guará.

12 a 15/4Palestras. A partir de um temário devidamente escolhido pela Comissão responsável pela organização da SEG e administrado pelo companheiro Jorge José Alves (Gecam), foram proferidas as seguintes palestras:

12/4 (GEAE): Doutrina Espírita: de Kardec aos dias atuais.

13/4 (CEAL): Amai-vos e instruí-vos.

14/4 (GECAM): Doutrina Espírita, um novo caminho para todos

14/4 (CETAU): A Doutrina Espírita e a grande família humana

15/4 (OSFRAMA): Doutrina Espírita: como ela pode melhorar o mundo?

e 17/4 (Ginásio Nilson Nelson): Seminário com Divaldo P. Franco.

Um livro de presenças, por sugestão da companheira Madalena (Ceal), foi aberto e recebeu a assinatura dos participantes em todos os eventos da I SEG. O livro registro a presença de representantes de várias instituições do DF, num total de 71 pessoas: Federação Espírita Brasileira; Federação Espírita do Distrito Federal; Sociedade Espírita Irmã Rosália; Centro Espírita Emmanuel, do Gama; Centro Espírita Sebastião O Mártir; Centro Espírita Portal da Luz; Universidade de Brasília; Grupo Educacional Assistencial Espírita Fraternidade; Centro Espírita O Consolador e Casa de Ismael; Centro Espírita Os Seareiros; Sociedade Espírita Allan Kardec.4

Como vimos, a programação da I SEG foi singela na quantidade de eventos, mas de grande magnitude no campo do sentimento, da emoção e de alegria fraterna. Foi para todos nós uma mensagem de esperança e de consolação que necessitávamos; promoveu a união daqueles que atuavam na Seara de Jesus isoladamente; juntou as varas para formarem um feixe a sustentar com mais segurança a Videira do Cristo; abriu caminhos que levam à integração, à comunhão de pensamentos e de ações; uniu as ações daqueles que semeiam nos corações desesperados a mensagem de esperança e consolação que o Evangelho de Jesus, iluminado pela luz da Terceira Revelação.

No final de 2006, quando da avaliação da II SEG, foi apresentada a sugestão da FEDF de que as semanas espíritas do DF fossem realizadas em outubro, em homenagem ao nascimento Allan Kardec, em 3 de outubro de 1804. E assim continua cada vez mais enriquecida com atividades incluindo as crianças e os jovens, que são devidamente preparados espiritualmente para o futuro comando desse evento e de outros, dignos do incentivo e apoio da Espiritualidade superior.

Continuemos, portanto, irmãos queridos no afã de unidos melhor servir ao Cristo, trabalhando pela unificação do Movimento espírita do Guará, sem violentar consciências como bem nos aconselha o Venerando Espírito Bezerra de Menezes, pela mediunidade de Chico Xavier:

O serviço de Unificação em nossas fileiras é urgente, mas não apressado. Uma afirmativa parece destruir a outra. Mas não é assim. É urgente porque define o objetivo a que devemos todos visar; mas não apressado, porquanto não nos compete violentar consciência alguma. Mantenhamos o propósito de irmanar, aproximar, confraternizar e compreender, e, se possível, estabeleçamos em cada lugar, onde o nome do Espiritismo apareça por legenda de luz, um grupo de estudo, ainda que reduzido, da Obra Kardequiana, à luz do Cristo de Deus. […] Seja Allan Kardec, não apenas crido ou sentido, apregoado ou manifestado, a nossa bandeira, mas suficientemente vivido, sofrido, chorado e realizado em nossas próprias vidas. Sem essa base é difícil forjar o caráter espírita-cristão que o mundo conturbado espera de nós pela unificação. – Reformador, dez. de 1975.

Concluímos nosso relato agradecendo o apoio de inúmeros cooperadores da Seara Espírita das cinco Casas que promoveram o evento. Não ousamos nomeá-los um a um, pois, sem dúvida, cometeríamos ingratidão com alguns que atuaram anonimamente. O livro de registro de presenças, nos diversos eventos que compôs a Semana – arquivado no CEAL –, tem seus nomes grafados, que serão lembrados pela posteridade por terem participado ativamente deste fato histórico do movimento espírita do Guará.

waldehir.almeida@gmail.com